UTL-UNIVERSIDADE DOS TEMPOS LIVRES
Montreal






UTL
Victor Hugo

Se o passado é motivo de orgulho, a construção do futuro, deve ser a base das nossas aspirações.

Na comemoração dos 42 anos de vida da Comunidade Católica dos Portugueses de Montreal, e para abrir a semana consagrada a esse acontecimento, qual melhor escolha poderia haver que começar pelo dia da UTL.

Depois da abertura da exposição, onde pudemos admirar os vários objectos feitos pelos artistas da Universidade, foi na cave da Igreja que algumas centenas de pessoas fraternizaram alegremente. A Tuna de Oiro e os seus componentes, encantaram-nos com algumas das canções do seu vasto reportório e no fim dum jantar copiosamente partilhado, ainda pudemos fazer a digestão, com os exercícios físicos.

A arquitectura só mostra a sua beleza, depois de sair da maqueta, quando é edificada. Assim aconteceu com a UTL que já é um sólido e bonito edifício na comunidade. Há um ano atrás, quando a aventura começou, houve quem pensasse, qual era a necessidade que havia, de pessoas que já aqui vivem há 30 ou 40 anos, irem aprender inglês, ou ainda de ouvir contar historias, que já se passaram há vários séculos. Diz o velho ditado que nem só de pão vive o homem.

Passado um ano, são muitos os avós que já conversam com os netos, outros conhecem as origens dos Lusitanos e os nossos heróis do passado; a Tuna de Oiro que nos encanta e que até já dá concertos; o talento descoberto pelos artistas da pintura, das artes e da música; os estrangeiros que já se exprimem em Português, os que já tinham muita ferrugem e que começam a mover-se melhor, graças à marcha e aos exercícios físicos, e mais uma panóplia de actividades que semanalmente reúne algumas centenas de pessoas num convívio são e agradável.

O sucesso da UTL, deve-se em parte aos responsáveis da Missão, mas é sobretudo graças à generosidade dos colaboradores, que carinhosamente consagram bastante do seu tempo, ao serviço de todos nós.

Há alguns dias, uma pessoa amiga que veio a minha casa, dizia que a velhice é muito triste. Eu repliquei-lhe dizendo que a velhice é maravilhosa. Ela é triste quando vivemos fechados sobre nós mesmos e quando nos sentamos no sofá à espera que Deus nos chame. Ela é maravilhosa, quando sonhamos e temos projectos, quando fazemos algo pelos outros, quando temos o desejo de aprender e de conviver. A UTL, que segundo os meus cálculos tem mais de 75% de jovens adultos de cabelos grisalhos, proporcionou a muitos deles mais do que aprender, ajudou-os a sair do isolamento e a passar algumas horas agradáveis no nosso duro Inverno.

Há uns 3 anos, quando eu plantava uma laranjeira no meu quintal, um vizinho que se aproximou disse-me que eu não estava bom da cabeça, andar a plantar árvores com esta idade. Ora o que ele não sabe é que este ano já comi laranjas da árvore que plantei. Não importa se temos 20,40,70 ou 80 anos, o mais importante na vida é plantar para se poder colher, mesmo se não formos nós os beneficiados.

 Eu creio que a UTL vai continuar a dar muitos frutos na nossa Comunidade.

Nota: Publicado no semanário A Voz de Portugal