ENTRE CAMPOS


Tudo à Mistura:
A Identidade Segundo Nicolas Fonseca


Por Hélder Ramos

A identidade de jovens luso-descendentes, particularmente dos que falam mais de dois idiomas (inglês, português e francês) e as semelhanças destes com jovens de outras etnias, é o tema de pesquisa do filme documentário Bien Mélanger (Into the Mix...ou, « Tudo à Mistura »), do realizador luso-quebequois Nicolas Fonseca de Montreal. Bien Mélanger faz a sua estreia local hoje (26 de Janeiro) às 19h00 no Innis Town Hall em Toronto.

O Nicolas Fonseca está actualmente a completar um mestrado na Universidade de Montreal e já completou um bacharelato em Estudos da Comunicação na Universidade Concordia. É o director da empresa Locomotion Films, com a qual já produziu diversas curtas metragens e foi o criador do portal de Internet MadeinMtl.com, pelo qual ganhou vários prémios, incluindo Best of Show (SXSW), um Cíber-Leão em Cannes (França), do British Interactive Media Awards, New York Festivals, Digital Marketing Awards, Vidfest, Boomerangs e Graphika de onde saiu a série de televisão do mesmo nome que apareceu na TV5, CTV e CBC.

Bien Mélanger (2006) inclui entrevistas com jovens luso-descendentes sobre a identidade luso-descendente, e também com diversas figuras reconhecidas do mundo da literatura, educação, linguística, sociologia e da arte contemporânea, tais como Anthony Giddens, Pico Iyer, Neil Bissoondath, Francesco Bonami, Marie-Laure Bernadac e Patricia Lamarre e tem como pano de fundo as cidades de Montreal, Londres, Paris, Nova Iorque, Veneza e Lisboa.

Para mais informações sobre a estreia desta noite, contactar: 416-532-3233

****

S.P.: - Conta-nos um pouco sobre ti, de onde vens, etc.…

N.F.:- Eu nasci em Montreal em 1977 e os meus pais em Portugal (Trás-os-Montes e Santarém), mas viveram em Angola desde pequenos. Encontraram-se lá e o meu irmão nasceu em Luanda. Vieram para o Canadá depois da guerra civil em 1975.

S.P.: - Como foi a tua experiência em Lisboa? Foi a primeira vez?

N.F.: - Eu passava os verões em Portugal quando era pequeno, e também tenho ido várias vezes a Portugal nos últimos dez anos, pelo que não houve choque cultural. Mas gosto sempre de ir a Lisboa, de conhecer outras pessoas da minha idade e de ver o lado moderno e cosmopolita de Portugal. Um lado que é de difícil acesso no quadro das comunidades.

S.P.: - Como foi recebido o filme?

N.F.: - A projecção em Lisboa correu muito bem. Houve mais de 300 pessoas e a discussão que se seguiu à projecção foi interessante. Para a maioria das pessoas, foi uma surpresa verem um filho de emigrantes com um filme contemporâneo, com um pensamento contemporâneo. Também estavam surpreendidos por eu falar bem português. Como o filme trata de imigração e de identidade, tinha perspectivas novas para eles que começam a ter imigração (e não só emigração) e problemas de integração, algo de novo para os Portugueses.

S.P.: - De que trata Bien Mélanger?

N.F.: - É um documentário sobre a identidade sob a perspectiva de jovens filhos de imigrantes, designadamente os pertencentes à comunidade portuguesa no Canadá, sobre questões como a mundialização e o turismo. O filme conta ainda com os depoimentos de vários estudiosos da globalização, entre os quais encontramos Anthony Giddens e Pico Iyer.

S.P.: - Como é que fizeste a pesquisa?

N.F.: - A pesquisa fez-se durante um ano e meio. Li vários livros e fiquei atento à secção política e social de vários jornais internacionais, onde acabei por encontrar diversos autores. E também fiz várias entrevistas com amigos e outras pessoas que como eu têm várias raízes.

S.P.: - Como é que surgiu a ideia do filme?

N.F.: - A ideia surgiu de forma quase natural. Comecei a ver que várias pessoas de vinte e trinta anos não se reconheciam nos medias, quando a questão era identidade ou duplas identidades. E também para acabar com os clichés da imigração e das comunidades.

Bien Mélanger ("Tudo à Mistura") recebe a estreia local na noite de Sábado, 27 de Janeiro, às 19h00, na sala de cinema do Innis Town, Universidade de Toronto, 2 Sussex Ave. (a norte da esquina da Harbord com a St. George) em Toronto. Entrada $5. Inf.: 416-532-3233